Sialex (Procimidona) – 1Kg

Ver Preço

Sialex é um Fungicida à base de Procimodora, eficaz no controle de:

Podridão de esclerotinia, Podridão branca, Pinta preta grande, Podridão-radicular, Mancha púrpura, Mofo cinzento, Mancha de alternaria e Crestamento gomoso do caule.

Para mais informações vide Bula e ficha-de-emêrgencia.

Ver Preço
  Perguntas e Respostas

Sialex Fungicida.

GERAL
Nome Técnico:
Registro MAPA:
Empresa Registrante:
Procimidona
3994
Sumitomo
COMPOSIÇÃO
Ingrediente Ativo Concentração
Procimidona 500 g/kg

 

CLASSIFICAÇÃO
Técnica de Aplicação:
Terrestre
Classe Agronômica:
Fungicida
Toxicológica:
5 – Produto Improvável de Causar Dano Agudo
Ambiental:
II – Produto muito perigoso
Inflamabilidade:
Não inflamável
Corrosividade:
Não corrosivo
Formulação:
Pó molhável (WP)
Modo de Ação:
Sistêmico
sialex-table
sialex-table

sialex fungicida

Indicações de Uso:

Sialex Fungicida é um fungicida, sistêmico, altamente seletivo para as culturas de Alface, Algodão, Alho, Batata, Cebola, Cenoura, Feijão, Melancia, Melão, Morango, Rosa, Soja, Tomate e Uva.

SIALEX 500 trata-se de um fungicida sistêmico empregado no controle de doenças fúngicas em culturas
anuais, frutíferas, hortaliças e ornamentais, conforme tabela abaixo:

Obs.: As doses em g/100 L de água são recomendadas para aplicações onde se empregam alto volume,
ou seja, em torno de 1 000 L de calda por hectare; em cenoura aplicar 800 L/ha.

SIALEX 500 trata-se de um fungicida sistêmico empregado no controle de doenças fúngicas em culturas anuais, frutíferas, hortaliças e ornamentais, conforme a bula.

INÍCIO, NÚMERO, ÉPOCA E INTERVALO DE APLICAÇÃO

– Alface: Iniciar as aplicações 7 dias após o transplantio, repetindo-se a cada 7 dias, fazendo no máximo 3 aplicações.
– Algodão (aplicação foliar): Fazer aplicações preventivamente, assim que surgirem as primeiras flores no 5º ramo (estádio fenológico F5). Realizar no máximo três aplicações de SIALEX 500 durante o ciclo da cultura, rotacionando-se com outros fungicidas de diferentes grupos químicos. O intervalo entre as aplicações deve ser de 10 dias. Aplicar dose maior em área com histórico de alta infecção da doença e condições propícias para o desenvolvimento do fungo. Recomenda-se utilizar 200 a 300 litros de volume de calda/ha.
– Alho: Tratar os bulbilhos antes do plantio umedecendo-os para maior aderência do produto. Fazer apenas 1 aplicação.
– Batata (aplicação foliar): Deverá ser feita até duas aplicações logo aos primeiros sintomas do aparecimento das doenças, com intervalo de 7 dias.
– Batata (aplicação no sulco de plantio): Poderá ser feita, em uma única aplicação, no sulco de plantio sobre a batata-semente (2,0 – 3,0 kg/ha) ou em duas vezes, sendo a primeira no sulco de plantio (1,5 kg/ha) sobre a batata-semente e a segunda aplicação antes da amontoa (1,5 kg/ha) gastando-se de 300 a 600 litros de calda/hectare.
– Cebola, Cenoura e Tomate: Os tratamentos deverão ser iniciados logo aos primeiros sintomas do aparecimento das doenças prosseguindo-se as pulverizações com intervalos de 7 dias, conforme a necessidade. Realizar no máximo 3 aplicações.
– Feijão: Os tratamentos deverão ser iniciados logo aos primeiros sintomas do aparecimento das doenças prosseguindo-se as pulverizações com intervalos de 7 dias, conforme a necessidade. Realizar no máximo 2 aplicações.
– Melancia e Melão: As aplicações devem ser iniciadas preventivamente ou logo no aparecimento dos primeiros sintomas do cancro-das-hastes e repetir as aplicações conforme a necessidade, em intervalo de 7 dias. Fazer no máximo 3 aplicações. Na cultura do Melão, cultivado em ambiente protegido, aplicar cobrindo toda área foliar, utilizar 800 – 1000 L/ha de calda. Fazer no máximo 3 aplicações.
– Morango: Fazer aplicações semanais, a partir do florescimento, repetindo se necessário. Realizar no máximo 3 aplicações
– Rosa: Efetuar uma aplicação na fase de “grão de arroz” e outra um dia antes da colheita. 5
– Soja: As aplicações devem ser iniciadas de forma preventiva, ou logo aos primeiros sintomas do aparecimento da doença. Devem-se fazer duas aplicações, sendo a primeira no início do florescimento e a segunda de 10 a 12 dias após a primeira aplicação, utilizando-se 200 litros de volume de calda por hectare. Considerando-se que o mofo-branco (Sclerotinia sclerotiorum) é um fungo presente no solo, deve ser aplicado o SIALEX 500 dando cobertura uniforme em todas as partes aéreas das plantas, e principalmente dirigindo o jato de pulverização para a região do colo das plantas. Realizar no máximo 2 aplicações.
Recomenda-se fazer as aplicações intercaladas com produtos com modo de ação diferente registrados para o controle do mofo-branco, para dificultar o aparecimento da resistência do fungo aos fungicidas.
– Uva: Fazer as aplicações visando à proteção do cacho, fazer no máximo duas aplicações na fase de pré-maturação.

MODO DE APLICAÇÃO:
Aplicar na forma de pulverização terrestre utilizando pulverizador costal manual ou motorizado ou de
barra tratorizada, dotados de bicos cônicos, procurando dar uma cobertura uniforme às plantas.
– A densidade das gotas deve estar no mínimo entre 50 – 70 gotas/cm2, com 250 micra;
– O sistema de agitação no interior do tanque deve ser mantido em funcionamento durante toda a
aplicação;

Informação adicional

Peso 1 kg
Dimensões 37,5 × 21,5 × 7,5 cm
Não mais ofertas para este produto!

Informações Gerais

Não há perguntas ainda.